quarta-feira, abril 14, 2021
Home Ciência Xiaomi processa EUA por inclusão em lista de 'empresas militares' ligadas ao...

Xiaomi processa EUA por inclusão em lista de ‘empresas militares’ ligadas ao governo chinês

G1

A fabricante de eletrônicos Xiaomi anunciou no último domingo (31) a abertura de um processo contra os Departamentos de Defesa e de Tesouro dos Estados Unidos, após o governo americano incluí-la em uma lista de “empresas militares comunistas chinesas”.

A companhia afirma que a inclusão na lista “foi factualmente incorreta e privou a empresa do devido processo legal”.

A ação foi aberta na última sexta (29) na corte do Distrito de Colúmbia, onde fica a capital Washington.

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos anunciou em 14 de janeiro que a Xiaomi e mais outras 8 empresas chinesas entraram para uma lista de supostas “companhias militares”, que teriam ligações com o governo da China.

A ordem, uma das últimas do governo Trump, proibiu que pessoas e organizações americanas mantivessem ações dessas companhias.

Caso a medida não seja revertida, a retirada de investimento deve ser feita até novembro de 2021 – e as empresas podem sair de bolsas de valores americanas.

“Com uma visão de proteger os interesses de usuários, parceiros, funcionários e acionistas ao redor do mundo, a empresa pediu à corte que declare a decisão ilegal e que seja revertida”, afirmou a Xiaomi.

A Xiaomi é uma das maiores fabricantes de celulares do mundo, segundo um levantamento da consultoria IDC – a marca é a 3ª em participação de mercado global, atrás da Samsung e Huawei.

Diferença para o caso Huawei
O fornecimento de equipamentos e tecnologia para a Xiaomi não é afetado por essa decisão, ao contrário do que aconteceu com a Huawei, fabricante de celulares e de equipamentos de telecomunicações que sofreu sanções mais duras durante o governo de Trump.

Desde 2019, a Huawei está na “lista de entidades” – que proíbe empresas americanas de fazer qualquer tipo de negócio, incluindo transferência de tecnologia ou venda de materiais.

A companhia foi colocada na “lista de entidades” por supostos riscos à segurança nacional dos EUA relacionadas com a instalação de antenas 4G e 5G e é diferente da lista de “empresas militares comunistas chinesas”.

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments