quarta-feira, julho 28, 2021
HomeDestaqueProjeto de Lei garante farmacêuticos nas unidades de saúde de Cuiabá

Projeto de Lei garante farmacêuticos nas unidades de saúde de Cuiabá

Projeto de Lei apresentado pela vereadora Michelly Alencar (DEM) nesta terça-feira (15.06) obriga que todas as unidades de saúde pública de Cuiabá tenham um farmacêutico para a distribuição de medicamentos.
Conforme a vereadora, a proposta é fruto de diálogo com a categoria e surgiu depois da fiscalização que encontrou milhares de medicamentos vencidos no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (CDMIC) e que resultou na instauração de uma CPI na Câmara Municipal.
“Se tivéssemos farmacêuticos trabalhando em todo o processo, desde a licitação até a dispensação de medicamentos, talvez não teríamos esse escândalo nos remédios vencidos, pois haveria um controle maior e, como resultado, um benefício maior para a população”, argumentou a vereadora.
O presidente do Conselho Regional de Farmácia de Mato Grosso, Iberê Ferreira Júnior, participou da Tribuna Livre da Câmara para falar sobre a importância da presença desse profissional em todo o processo, desde a compra via licitação até a dispensação nas unidades básicas de saúde.
“O profissional farmacêutico é de suma importância, pois se uma dessas etapas falha, dificilmente nós teremos os melhores medicamentos, com relação custo-benefício, sendo entregues aos pacientes”, explicou.
Segundo ele, 79 unidades de saúde pública de Cuiabá não têm farmacêuticos em suas farmácias, incluindo atualmente as policlínicas do CPA I e Pedra 90.
Conforme o projeto da vereadora, é o farmacêutico quem deve fazer a dispensação de medicamentos, atendimento dos pacientes, planejamento, organização e cuidado de todo estoque de medicamentos, contribuindo, assim, para racionalizar o uso de medicamentos e evitar perdas.
Michelly ainda argumentou que ao se adotar a conduta de que os medicamentos podem ser entregues por qualquer pessoa, valoriza-se mais a quantidade dos medicamentos entregues e não a qualidade e resolutividade da assistência farmacêutica.
O projeto também cita a lei federal 13.021/2014 que determina que as farmácias de qualquer natureza deverão contar com a presença de farmacêutico em todos seus horários de funcionamento.
“O farmacêutico não é apenas um profissional que fornece o medicamento, ele se preocupa com o paciente, orienta e cuida para que os medicamentos sejam utilizados de forma correta e reduzindo riscos, além de ser responsável por toda a gestão da farmácia, desde a aquisição até a dispensação”, justificou.

 

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments