quinta-feira, abril 15, 2021
Home Opinião Atravessando a ponte

Atravessando a ponte

LICIO ANTONIO MALHEIROS

Várzea Grande, município brasileiro do estado de Mato Grosso que forma uma conurbação com a capital do estado, sendo as duas cidades separadas apenas por um rio, que empresta o nome à capital, o rio Cuiabá.

 

Desde a instalação em 25 de julho de 1949, da Câmara Municipal de Várzea Grande, tendo como seus 5 primeiros vereadores eleitos: Benedito Gomes da Silva, Manoel Santana do Nascimento, João Nepomuceno de Magalhães,  Júlio Domingos de Campos, e Generoso Tavares, escolhidos nas eleições de  29 de maio do mesmo ano.

 

Os acontecimentos deram sequência; no ano de 1957, foram inaugurados o Ginásio Estadual e o primeiro Posto de Combustível, logo em seguida foi construída a Cadeia pública, e nesse mesmo período, já era um sonho de todos a instalação de telefones.

 

Agora, quando o assunto é política, a exacerbação na competitividade, e batalha pelos cargos é algo inconteste; principalmente na majoritária, chega a dar medo pelo acirramento na disputa dos mesmos, pelo enfrentamento de cada candidato em busca de votos.

 

Voltando ao século XXI, a corrida rumo a Prefeitura  Municipal de Várzea Grande, conta com quatro nomes postulantes à tão sonhada vaga de Prefeito,  figurando entre eles, Emanuel Pinheiro Neto (Emanuelzinho) – PTB, Flávio Vargas (PSB), conhecido como Flávio Frical, Kalil Baracat (MDB), Milton Dantas (PSOL), a disputa por certo será acirrada.

 

O primeiro postulante, conhecido como Emanuelzinho (PTB), filho do atual prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB); eleito deputado federal em 2018, sua jovialidade e nenhuma experiência no  executivo municipal, será sem dúvida alguma, um dos fatores imperativos neste processo eleitoral, tornando-se um complicador, além de uma segunda vertente desfavorável, o peso da familiocracia, que infelizmente perdura em nosso Estado.

 

O segundo postulante, o jovem Kalil Baracat (MDB), neto de Sarita Baracat grande mulher (in memoriam), primeira prefeita de Várzea Grande.  Kalil, é filho do falecido Nico Baracat, que foi vice-prefeito e deputado estadual, tendo como apoiador, o senador Jayme Campos (DEM); que num passado não muito distante, foi opositor ferrenho da família Baracat, o jovem candidato, também esbarra na questão da familiocracia.

 

O terceiro postulante, Milton Dantas de Oliveira (PSOL), de 59 anos empresário do ramo da construção, tendo como meta prioritária resolver a questão da falta d’água, tendo como projeto, a construção de uma Estação de Tratamento de Água (ETA).

O quarto e último candidato, Flávio Vargas (PSB), conhecido também como Flávio Frical, com uma vasta experiência em administração, tendo como bandeira de luta, o tripé: saúde, educação e turismo. O mesmo, deu ênfase para o turismo gastronômico, citando como exemplo, a Rota do Peixe, que tem várias peixarias e todas familiares, desta forma, pretende implementar o Turismo Gastronômico. Além, de pontuar com veemência, a questão da falta d’água no município, que para ele, vem se tornando o calcanhar de Aquiles da atual administração.

 

No tocante à proporcional, existe uma plêiade de bons nomes postulantes ao cargo. Porém a meu ver, pelo pouco que o conheço, o enfermeiro Emerson, vem  desempenhando trabalho hercúleo, levando aos bairros periféricos de Várzea Grande, não apenas  informações pertinentes à  saúde, como também levando às pessoas mais humildes, uma palavra de fé e esperança em dias melhores, principalmente para as pessoas  mais necessitadas, as expropriadas do capital.

 

E que nessa árdua disputa, a população Várzea-Grandense possa votar naquele candidato que esteja alinhado com a população, e que a mesma saiba separar o joio do trigo.

 

LICIO ANTONIO MALHEIROS é professor e geógrafo.

Previous articlePrimavera em chamas
Next articleArroz e substitutos
- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments