quarta-feira, junho 16, 2021
HomeOpiniãoNelson Gonçalves

Nelson Gonçalves

Peguei-me nostálgico e comecei a ouvir a minha nostalgia, nas canções imortais, na voz de Nelson Gonçalves: A flor do meu Bairro, A Deusa do Asfalto, Meu Dilema, Folhas mortas, Sertaneja. Naquela Mesa, Carlos Gardel, Meia Luz, Mano a Mano, Chão de Estrelas, Três Apitos, Revolta, Dolores Sierra, Nem as paredes confesso, Asa Branca, Cabelos Brancos, Naquela Mesa, Argumento, Lembranças, Magoa de Cabloco, Rancho Fundo, Barracão de Zinco, Palhaço, Meu vício é você e a imortal Volta do Boêmio….

– Fiquei entre a cruz e a espada quando ela desesperada obrigou-me a escolher……

– Sertaneja – pra secar os seus olhimos vai ouvir os passarinhos que cantam mais do eu…

– Seu eu soubesse quanto dói a vida esta dor tão doida não doía assim… – Lembro o olhar, lembro o lugar, seu vulto amado, lembro o sorriso e o paraíso que tive ao teu lado… – Se fui pecador, condeno a lua que abandonou a rua e fugiu com o luar…

– A vida para mim não vale nada, desde o dia em que a malvada o coração me estraçalhou…

– Enquanto você faz pano, faço junto ao piano estes versos pra você… – Não devia, sendo do morro e moreno amar a deusa do asfalto…

– De tão triste esta tristeza enche de trevas a natureza… – Tango, bandoneon, uma vitrola que chora num grito de amor desesperado… – Corrientes 348, segundo piso adentro…

– Meus cabelos cor prata são pingos brancos de orvalho num tinteiro de nanquim… – – Minha vida era um palco iluminado, eu vivia vestido de dourado, palhaço das perdidas ilusões… – Vá rever os seus rios, seus montes, cascatas. Vá sonhar em novas serenatas e abraçar seus amigos leais…

O Nelson Gonçalves era gago e foi se apresentar num programa de calouros de Ary Barroso e este meio descrente o botou para cantar e depois lhe perguntou: o que você fazia antes de cantar. O Nelson respondeu que lutava boxe, então o Ary o aconselhou a voltar para o boxe.

Ele se envolveu com drogas e passou por maus bocados e se recuperou e retornou a sua carreira, passando a colaborar com os programas e clínicas de recuperação de drogados. Gravou mais de 2.000 músicas e nos deixou um grande legado.

Com sua voz grave e inimitável gravou, em sua época, os nossos melhores compositores: Adelino Moreira, Orestes Barbosa, Ary Barroso, Dolores Duran, Braguinha, Noel Rosa, Luiz Gonzaga, Adoniran Barbosa, Cartola, Pixinguinha, Chiquinha Gonzaga, Sílvio Caldas, Lamartine Babo, Jacob do Bandolin, Herivelto Martins/David Nasser e etc.

Tenho a impressão que vivemos um deserto cultural nesta área. Não sei se estou surdo, mas tenho ouvido pouca coisa digna de nota. Os nossos melhores compositores contemporâneos andam mudos. Volto, portanto, novamente ao passado e a me emocionar com as pérolas, na voz de barítono do meu cantor predileto que cantava – como dizia meu pai – como se estivesse falando.

Chega de dor, de apreensões, de perdas e desesperos desta quadra tão conturbada da vida nacional… Um brinde à vida na voz inesquecível daquele que tinha por destino cantar! Todas as suas músicas estão na Internet, dê um passeio por lá.

Renato Gomes Nery é advogado.

Previous articleO Transporte
Next articleDa vida, com sentido!
- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments